Páginas

quinta-feira, 31 de maio de 2012

Quer se divorciar? Leia esse texto antes.

Naquela noite, enquanto minha esposa servia o jantar, eu segurei sua mão e disse: “Tenho algo importante para te dizer”. Ela se sentou e jantou sem dizer uma palavra. Pude ver sofrimento em seus olhos.
De repente, eu também fiquei sem palavras. No entanto, eu tinha que dizer a ela o que estava pensando. Eu queria o divórcio. E abordei o assunto calmamente.
Ela não parecia irritada pelas minhas palavras e simplesmente perguntou em voz baixa: “Por quê?”
Eu evitei respondê-la, o que a deixou muito brava. Ela jogou os talheres longe e gritou “você não é homem!” Naquela noite, nós não conversamos mais. Pude ouvi-la chorando. Eu sabia que ela queria um motivo para o fim do nosso casamento. Mas eu não tinha uma resposta
satisfatória para esta pergunta. O meu coração não pertencia a ela mais e sim a Jane. Eu simplesmente não a amava mais, sentia pena dela.
Me sentindo muito culpado, rascunhei um acordo de divórcio, deixando para ela a casa, nosso carro e 30% das ações da minha empresa.
Ela tomou o papel da minha mão e o rasgou violentamente. A mulher com quem vivi pelos últimos 10 anos se tornou uma estranha para mim. Eu fiquei com dó deste desperdício de tempo e energia mas eu não voltaria atrás do que disse, pois amava a Jane profundamente. Finalmente ela começou a chorar alto na minha frente, o que já era esperado. Eu me
senti libertado enquanto ela chorava. A minha obsessão por divórcio nas últimas semanas finalmente se materializava e o fim estava mais perto agora.
No dia seguinte, eu cheguei em casa tarde e a encontrei sentada na mesa escrevendo. Eu não jantei, fui direto para a cama e dormi imediatamente, pois estava cansado depois de ter passado o dia com a Jane.
Quando acordei no meio da noite, ela ainda estava sentada à mesa, escrevendo. Eu a ignorei e voltei a dormir.
Na manhã seguinte, ela me apresentou suas condições: ela não queria nada meu, mas pedia um mês de prazo para conceder o divórcio. Ela pediu que durante os próximos 30 dias a gente tentasse viver juntos de forma mais natural possível. As suas razões eram simples: o nosso
filho faria seus exames no próximo mês e precisava de um ambiente propício para preparar-se bem, sem os problemas de ter que lidar com o rompimento de seus pais.
Isso me pareceu razoável, mas ela acrescentou algo mais. Ela me lembrou do momento em que eu a carreguei para dentro da nossa casa no dia em que nos casamos e me pediu que durante os próximos 30 dias eu a carregasse para fora da casa todas as manhãs. Eu então percebi que ela estava completamente louca, mas aceitei sua proposta para não tornar
meus próximos dias ainda mais intoleráveis.
Eu contei para a Jane sobre o pedido da minha esposa e ela riu muito e achou a idéia totalmente absurda. “Ela pensa que impondo condições assim vai mudar alguma coisa; melhor ela encarar a situação e aceitar o divórcio” – disse Jane em tom de gozação.
Minha esposa e eu não tínhamos nenhum contato físico havia muito tempo, então, quando eu a carreguei para fora da casa, no primeiro dia, foi totalmente estranho. Nosso filho nos aplaudiu dizendo “O papai está carregando a mamãe no colo!” Suas palavras me causaram
constrangimento. Do quarto para a sala, da sala para a porta de entrada da casa, eu devo ter caminhado uns 10 metros carregando minha esposa no colo. Ela fechou os olhos e disse baixinho “Não conte para o nosso filho sobre o divórcio” Eu balancei a cabeça mesmo discordando e então a coloquei no chão assim que atravessamos a porta de entrada da
casa. Ela foi pegar o ônibus para o trabalho e eu dirigi para o escritório.
No segundo dia, foi mais fácil para nós dois. Ela se apoiou no meu peito, eu senti o cheiro do perfume que ela usava. Eu então percebi que há muito tempo não prestava atenção a essa mulher. Ela certamente tinha envelhecido nestes últimos 10 anos, havia rugas no seu rosto,
seu cabelo estava ficando fino e grisalho. O nosso casamento teve muito impacto nela. Por uns segundos, cheguei a pensar no que havia feito para ela estar neste estado.
No quarto dia, quando eu a levantei, senti uma certa intimidade maior com o corpo dela. Esta mulher havia dedicado 10 anos da vida dela a mim.
No quinto dia, a mesma coisa. Eu não disse nada a Jane, mas ficava a cada dia mais fácil carregá-la do nosso quarto à porta da casa. Talvez meus músculos estejam mais firmes com o exercício, pensei.
Certa manhã, ela estava tentando escolher um vestido. Ela experimentou uma série deles, mas não conseguia achar um que servisse. Com um suspiro, ela disse “Todos os meus vestidos estão grandes para mim”. Eu então percebi que ela realmente havia emagrecido bastante, daí a facilidade em carregá-la nos últimos dias.
A realidade caiu sobre mim com uma ponta de remorso… ela carrega tanta dor e tristeza em seu coração….. Instintivamente, eu estiquei o braço e toquei seus cabelos.
Nosso filho entrou no quarto neste momento e disse “Pai, está na hora de você carregar a mamãe”. Para ele, ver seu pai carregando sua mãe todas as manhãs tornou-se parte da rotina da casa. Minha esposa abraçou nosso filho e o segurou em seus braços por alguns longos
segundos. Eu tive que sair de perto, temendo mudar de idéia agora que estava tão perto do meu objetivo. Em seguida, eu a carreguei em meus braços, do quarto para a sala, da sala para a porta de entrada da casa. Sua mão repousava em meu pescoço. Eu a segurei firme contra o
meu corpo. Lembrei-me do dia do nosso casamento.
Mas o seu corpo tão magro me deixou triste. No último dia, quando eu a segurei em meus braços, por algum motivo não conseguia mover minhas pernas. Nosso filho já tinha ido para a escola e eu me vi pronunciando estas palavras: “Eu não percebi o quanto perdemos a nossa intimidade com o tempo”.
Eu não consegui dirigir para o trabalho… fui até o meu novo futuro endereço, saí do carro apressadamente, com medo de mudar de idéia… Subi as escadas e bati na porta do quarto. A Jane abriu a porta e eu disse a ela “Desculpe, Jane. Eu não quero mais me divorciar”.
Ela olhou para mim sem acreditar e tocou na minha testa “Você está com febre?” Eu tirei sua mão da minha testa e repeti.” Desculpe, Jane. Eu não vou me divorciar. Meu casamento ficou chato porque nós não soubemos valorizar os pequenos detalhes da nossa vida e não por falta
de amor. Agora eu percebi que desde o dia em que carreguei minha esposa no dia do nosso casamento para nossa casa, eu devo segurá-la até que a morte nos separe”.
A Jane então percebeu que era sério. Me deu um tapa no rosto, bateu a porta na minha cara e pude ouvi-la chorando compulsivamente. Eu voltei para o carro e fui trabalhar.
Na loja de flores, no caminho de volta para casa, eu comprei um buquê de rosas para minha esposa. A atendente me perguntou o que eu gostaria de escrever no cartão. Eu sorri e escrevi: “Eu te carregarei em meus braços todas as manhãs até que a morte nos separe”.
Naquela noite, quando cheguei em casa, com um buquê de flores na mão e um grande sorriso no rosto, fui direto para o nosso quarto onde encontrei minha esposa deitada na cama – morta.
Minha esposa estava com câncer e vinha se tratando a vários meses, mas eu estava muito ocupado com a Jane para perceber que havia algo errado com ela. Ela sabia que morreria em breve e quis poupar nosso filho dos efeitos de um divórcio – e prolongou a nossa vida juntos
proporcionando ao nosso filho a imagem de nós dois juntos toda manhã. Pelo menos aos olhos do meu filho, eu sou um marido carinhoso.
Os pequenos detalhes de nossa vida são o que realmente contam num relacionamento. Não é a mansão, o carro, as propriedades, o dinheiro no banco. Estes bens criam um ambiente propício a felicidade mas não proporcionam mais do que conforto. Portanto, encontre tempo para ser amigo de sua esposa, do seu marido, façam pequenas coisas um para o outro para mantê-los próximos e íntimos. Tenham um casamento real e feliz!

Um casamento centrado em Cristo é um casamento que dura uma vida toda.

Retirei esta história do site do Amilton Menezes,ele é locutor da radio novo tempo,este é o depoimento dele a respeito do texto acima:

(Recebi o texto acima, por e-mail. Não sei quem escreveu. Acho, também, que pouco importa se é um relato real ou fictício. Por isso resolvi publicar aqui. Se salvar do divórcio um casamento fragilizado, terá valido a pena).

quarta-feira, 30 de maio de 2012

 Pizza de palmito




Massa:

250g farinha integral
250g farinha branca
¼ xícara de óleo de canola
1 colher (sopa) de fermento biológico
½ colher (chá) de sal
+ ou – 2 xícaras de água.

Molho:
3 tomates picados sem semente
3 xícaras de palmito picado
½ xícara de azeitona picada
Sal e orégano a gosto
Catupiry de soja


Modo de preparo:
Misture a farinha integral com mais ou menos a metade da farinha branca (o resto será usado para dar ponto), sal, fermento e o óleo. Misture tudo e acrescente mais ou menos 2 xícaras de água para dar o ponto de não grudar mais.
Essa massa rende duas pizzas. Corte a massa ao meio e faça duas bolinhas. Abra a massa com um rolo com cuidado e reserve.
Misture numa tigela os ingredientes do recheio.
Com a massa já numa forma redonda, despeje o recheio em cima da massa e espelhe bem.
Coloque o catupiry de soja dentro de um saco plástico, faça um furo pequeno na ponta e coloque na pizza da maneira que preferir. Polvilhe o orégano e asse até dourar em forno médio.

Fonte: Vida e Saúde

segunda-feira, 28 de maio de 2012

Quatro itens que explicam o medo masculino de propor casamento

Homens ficam tensos quando pensam em casamento

Foto: Getty Images



Para a maioria das mulheres, imaginar a hora que o homem vai pedi-la casamento é mágico. Ele se ajoelha, lhe dá uma caixinha de veludo e coloca um maravilhoso anel cintilante em seu dedo anelar. O problema é que esse momento pode ser bem tenso para os homens. O site Savy Miss listou quatro razões. Confira:

O Anel
A tensão masculina já começa com a escolha do anel. Para a maioria dos homens, tantas opções na vitrine só atrapalham. Neste momento, uma solícita vendedora pode fazer com que os nervos masculinos não fiquem à flor da pele. Outra questão que deve ser considerada é o preço do anel. Como eles não querem fazer feio e desejam muito agradar a futura noiva, o presente, às vezes, pode deixar seu bolso bem mais vazio por alguns meses.

A permissão
Se um homem deseja seguir toda a tradição que há no noivado, vai ter de pedir a namorada em casamento na frente dos pais dela, o que é bem estressante. Se o pai se lembrar neste momento que o homem está querendo levar sua filhinha embora, a situação pode ficar ainda mais tensa.

O Momento
Além da necessidade de torná-lo especial para você e para o resto do mundo que vai ouvir falar, outra coisa que faz o pedido ser estressante é o pensamento de que a mulher pode dizer “não”. Claro que a chance de falar “sim” é maior, mas o friozinho na barriga e os pensamentos de que a namorada pode não aceitar deixam o rapaz para lá de estressado.

A Questão
Outro item que permeia a mente masculina é a pergunta: “estou pronto para casar?”. É uma pergunta que todo homem tem que fazer a si mesmo e que só ele pode responder. Para alguns, casar significa perder sua adolescência e liberdade. Além disso, ele vai ter de dar adeus a certos comportamentos que deixam qualquer mulher louca, como uma montanha de pratos na pia, meias jogadas pela casa, tampa da privada levantada e por aí vai.

Fonte: terra

Lindo Bico







quarta-feira, 23 de maio de 2012

Receita com fio duna






As sequelas da traição


A dor emocional provocada pela infidelidade é uma das mais fortes e devastadoras no casamento e na vida de uma pessoa. Essa dor é sentida principalmente pela pessoa traída, mas quem traiu também pode sofrer algumas consequências difíceis.
Se você já passou por isso ou conhece alguém que precisa de ajuda,  veja algumas dicas da psicóloga Thais Souza  que ensinam como lidar ou orientar.

Quem já foi traído pode:
- Sentir medo de se relacionar novamente
- Generalizar a ideia de que “nenhum homem presta” ou “nenhuma mulher presta”
- Se depreciar ou desenvolver uma baixa autoestima por se achar inferior ou incapaz de ser uma pessoa interessante para outro
- Desenvolver sensação de incapacidade de ser para o cônjuge ou para o namorado (a) aquilo que o amante foi
- Sentir insegurança em relacionamentos futuros (desconfiança e atitudes de checagem)
- Ter dificuldade em confiar novamente em alguém e se “entregar” afetivamente


Como lidar com isto?
- Entenda que a traição não significa que a pessoa traída não seja interessante, não tenha valores e não seja atraente
- Nem todas as pessoas são traidoras e não merecem confiança
- Procure a ajuda e o apoio da família e dos amigos. Conte o que você está sentindo, sem medo nem vergonha
- Avalie os benefícios de procurar ajuda profissional



Quem traiu pode ter:
- Sentimento de culpa
- Dificuldade em se perdoar
- Ter a sensação de que o prazer sentido na relação extraconjugal é a solução para a insatisfação conjugal e tender a repetir este comportamento em outros relacionamentos quando dificuldades e decepções surgirem

Como lidar com isto?
- Se a pessoa entendeu que a atitude de traição não foi legal e se arrepender verdadeiramente, ela pode se perdoar e parar de se culpar pelo ocorrido, apesar de que às vezes as consequências (como uma separação ou divórcio) acontecerão.
- Se a pessoa percebe a tendência de repetir o ato, é importante que ela se questione com relação a isto e ao quanto isto machuca outra pessoa, se ela não percebe os prejuízos que ela mesma pode ter.

Pense bem…
Apesar da naturalidade com que  hoje  as pessoas tratam a questão da infidelidade, as consequências dela mostram o quanto esta atitude permanece sendo motivo de sofrimento para as pessoas envolvidas.
Portanto, pense bem antes de utilizar essa prática como tentativa de se refugiar dos seus problemas.


Fonte: Amilton Menezes/ radionovotempo

terça-feira, 22 de maio de 2012

Bons motivos para preservar o casamento (e não divorciar)

1 – Agrada a Deus.

2 – As pessoas casadas vivem mais.

3 – Você terá mais saúde.

4 – Não terá que dividir sua renda.

5 – Não terá de repartir os filhos.

6 – Será mais protegido (a).

7 – Não terá de viver só.

8 – Poderá construir algo com seu cônjuge.

9 – Não deixará um legado de divórcio para os filhos.

10 – Não terá de mudar-se para uma outra casa ou apartamento.

11 – Vocês serão capazes de ajudar um ao outro a levantar-se quando caírem.

12 – As orações que vocês fazem juntos têm mais poder.

(Por Sotrmie Omartian)

 

Fonte:  Amilton Menezes/radionovotempo.


quarta-feira, 16 de maio de 2012

Capa de crocê branca para galão de água

Esta linda capa se encontra no galão da minha e como sempre não resisti e tirei uma foto,quem fez foi minha irmã em Cristo Terezinha,ela faz lindos trabalhos em crochê.













Caminho de crochê com lindas flores vermelhas


Este caminho foi feito por minha tia Nair ,ela foi uma das minhas professoras !!!
 Ela usou barbante crú nº 2 e nas flores  ela usou linha duna na cor amarela e rosa mesclada .Essa florzinha ainda não sei fazer mas quando aprender eu posto a receita,bj!



 









quarta-feira, 9 de maio de 2012

Necesserie de crochê



Gente achei esta linda necessarie no site da coatscrafts ,visitem o site lá tem a receita ,bjs!

16 maneiras de destruir um casamento

                                                                                1 – Parar de dialogar de maneira aberta e sincera

2 – Alimentar a ira e ser sempre egoísta, rude e violento(a).

3 – Nunca perdoar seu cônjuge, por menores que sejam os erros dele.

4 – Passar o maior tempo possível deprimido(a) e com pensamentos negativos.

5 – Convencer seu cônjuge de que os filhos são muito mais importantes para você que ele.

6 – Ser sempre indolente e recusar-se a fazer sua parte nas tarefas de casa ou do trabalho.

7 – Gastar dinheiro com futilidades e sempre assumir dívidas altas.

8 – Adquirir vícios ou hábitos nocivos e defender seu direito de conviver com eles.

9 – Não se importar com as necessidades sexuais de seu cônjuge, desde que você obtenha o que deseja.

10 – Habituar-se a ver filmes, revistas ou propagandas com cenas de sexo explícito e comparar com seu marido (esposa) as imagens e, acima de tudo, mencionar a outras pessoas quem você acha mais atraente.

11 – Ser firme com seu marido (esposa) e recusar-se a dizer: “Desculpe-me”, “Perdoe-me” ou “Você está perdoado(a)”.

12 – Tirar Deus e seu cônjuge da lista de prioridades.

13 – Ameaçar pedir divórcio todas as vezes que surgir um conflito entre vocês.

14 – Ter um relacionamento extraconjugal ou alimentar uma paixão por outra pessoa que não seja seu marido (esposa).

15 – Sair de casa e não tentar reconciliar as diferenças.

16 – Desistir de Deus e recusar-se a acreditar que Ele é um Deus de milagres, com o poder de restaurar o amor e a esperança.

Fonte: Amilton Menezes radio novo tempo

sexta-feira, 4 de maio de 2012

Mulher virtuosa !

A mulher incomparável


O texto já tem milhares de anos, porém é mais real do que nunca. Foi escrito por um sábio rei e, provavelmente, você o conheça bem. Talvez ainda não nesta versão:
“Uma boa mulher é difícil de encontrar, ela vale muito mais que diamantes. O marido confia nela sem reservas, e disso nunca se arrependerá. Ela não é irritada e o trata muito bem por toda a vida.
Ela compara preços, em busca dos melhores fios de lã e de algodão, e se alegra em tricotar e costurar. Ela é como um navio mercante, que navega até os lugares mais longínquos e traz surpresas exóticas.
Ela se levanta antes do amanhecer, prepara o café da manhã para a família e organiza seu dia. Examina um campo e o compra e depois, com o dinheiro que poupou, planta uma horta.
A primeira coisa que faz de manhã é vestir-se para o trabalho: ela arregaça as mangas, ansiosa por começar. Compreende o valor de seu trabalho e não tem pressa de dar o dia por encerrado. Ela é habilidosa nos serviços do lar e da família, proativa nas tarefas da casa.
Ela não demora para acudir os que estão com necessidade; estende a mão para socorrer o pobre. Ela não se preocupa com a família quando neva; suas roupas de inverno estão todas consertadas e prontas para uso.
Ela mesma faz as roupas que usa, e se veste de roupas de linho coloridas e vestidos de seda.
Seu marido é muito respeitado quando se reúne com as autoridades locais.
Ela desenha vestidos e os vende, leva blusas que tricotou para as lojas de roupas. Suas roupas são benfeitas e elegantes, e ela sempre encara o dia de amanhã com um sorriso.
Quando abre a boca, sempre tem algo importante a dizer e sempre o diz com toda a gentileza.
Ela é atenta a todos os de sua casa e mantém todos eles ocupados e produtivos. Os filhos a respeitam e dela falam bem; o marido não economiza elogios: “Muitas mulheres têm feito coisas maravilhosas, mas você superou todas!”.
O encanto pode enganar, e a beleza logo desvanece. A mulher que merece admiração é a que vive no temor do Eterno. Dê a ela tudo o que ela merece! Adorne sua vida com elogios!” Provérbios 31:10-31, versão A Mensagem.

Fonte : Amilton Menezes/ radio novo tempo.


Seguidores

Pensamentos

Deus é refúgio na provação !!!

Siga por e-mail / Follow by Email